27 de novembro de 2011

agora entendo que qualquer distância é vã quando a gente carrega um pouco do outro dentro de nós. 

rabiscado anos atrás, ao tentar dar nome a essa grande dor - que apesar de outra, renasce sempre a mesma.



Um comentário:

  1. Em um ponto deste processo literario, concordo que a distancia é vã e amplio que vivemos seres como se passássemos por ruas, cada ser é uma rua, cheia. Um homem ou uma mulher pode ser uma rua. E por isso não concordo com a dor sendo que não existem distancias. Ao mesmo tempo que a dor está perto, ela pode ser lançada ao universo, ao quântico da importancia. Gosto de ler seus pontos de vista, é uma otima romancista de poucas palavras, palavras que gostam de viver. Parabens e tudo de bom nessa vida.

    Velharia Cordexita

    ResponderExcluir