13 de dezembro de 2012

pé da letra é rasteiro, toca o chão.
pouco entende quem não é capaz de abstração.

12 de dezembro de 2012

por muitas vezes meu amor já foi passado
 
depois engomado, dobrado e guardado com todo cuidado no fundo de um armário cheinho de mofo. vez ou outra, quando lembro, eu tiro ele de lá e estiro ao sol por uns dias, só pra ver se ele resiste ao tempo. confesso que isso me dá uma alergia daquelas.

 

10 de dezembro de 2012


deitem fora essa porção de estatuetas assexuadas...
os anjos querem é fazer amor!

6 de dezembro de 2012


perder tem me ensinado a querer.

5 de dezembro de 2012

essa facilidade que eu tenho de fazer coisas pelos outros foi a maneira mais discreta que encontrei para escapar aos compromissos comigo mesma. altruísmo passa longe.

3 de dezembro de 2012

sempre que a gente se encontra
eu tiro o dia pra veranear.

é que ele deita as amenidades fora
e convida minh´alma a dançar.