11 de julho de 2012


sabe, moço... afinal, para ser alegre a gente não tem que ser tolo. o que eu quero te dizer com isso é que é possível, sim, enfeitar com um pouco de delicadeza toda brutalidade que a vida impõe; que dá pra pôr um pouquinho de cor nos dias que doem e aproveitar os suspiros mais fundos pra renovar de uma vez todo o ar dos pulmões; que é possível - e até saudável - futucar, remexer e ir bem fundo nos tantos porquês e pra quês, sem contudo jogar a toalha na outra parte, aquela que diverte. dá pra ser bastante feliz sem perder a dignidade. acredite. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário