13 de outubro de 2011

era terça feira e eu estava treinando, bem à força, um não-querer qualquer que me livrasse desse desconforto constante. foi quando vi aquela ligação perdida, acompanhada de uma mensagem cheia de palavras apropriadas, naquele "bom-tom" que lhe é peculiar. por alguns dias não consegui reagir.

ele só queria saber como estou. e eu, que nunca soube mascarar minhas dores, precisei ponderar muito sobre a inconveniência de dizer a verdade. não me fez muito sentido. percebi, afinal, que nesse momento o silêncio cabe mais que meia dúzia de amenidades.

Um comentário:

  1. (de como algumas palavras podem nos mudar o sentido)

    - As tuas me mandaram pra cá. Essas pontes que a gente alça de vez em quanto a tão felizes destinos equivalem àqueles esbarrões imprevisíveis com a pessoa certa, numa esquina solitária, que te faz se reencontrar em si.

    Obrigado pela sua visita, volte sempre, e eu estarei sempre por aqui também.

    Não paremos. :)

    ResponderExcluir