23 de abril de 2012

mas isso que a gente sente e chama de falta, é o exato oposto dela; a mais inevitável das presenças, dessas que nenhum silêncio parece saber calar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário