30 de maio de 2012

algumas escolhas inconsistentes deixam exposta uma certa incoerência em minha vida. são batalhas que travo diariamente contra um lado meu que é, sem notar, algo que nem quer. fuçar os porquês  disso tudo explica, mas não simplifica. esclarece, mas não abranda. aponta caminhos, mas não facilita a travessia. e entre esse ser condicionado por hábitos e ignorâncias e uma melhor versão de mim mesma, é que eu existo; ponte de mim para mim, através de mim. mas... e se um dia eu chego: é o fim? ou o começo?

sartre que me perdoe, mas concordo mais com os que dizem que o inferno somos nós.

Um comentário: