10 de maio de 2012

tem dias em que a gente acorda com uma disposição atípica para domesticar os próprios dragões e se livrar dos pesos mortos que andam ocupando nossos lugares mais sagrados. e apesar de difíceis, trabalhosos e doloridos, de um jeito meio estranho esses até que são dias bem felizes


"Sentimento que não espairo; pois eu mesmo nem acerto com o mote disso — o que queria e o que não queria, estória sem final. O correr da vida embrulha tudo, a vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem. O que Deus quer é ver a gente aprendendo a ser capaz de ficar alegre a mais, no meio da alegria, e inda mais alegre ainda no meio da tristeza! Só assim de repente, na horinha em que se quer, de propósito — por coragem. Será? Era o que eu às vezes achava. Ao clarear do dia.” 

(Guimarães Rosa, trecho de Grande Sertão: Veredas) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário