21 de março de 2012

Ainda estou me acostumando a essa perspectiva da vida como algo irresolvível. É desconcertante aceitar que a ausência de sentido seja a hipótese que mais sentido faz. Não sei bem se isso liberta ou me limita.

"Dado que estamos perdidos, eis a nossa salvação. Quando estamos perdidos, significa que nada mais nos controla, nada mais nos detém, podemos finalmente inventar nossas vidas. Ser livre é terrível, pois ser livre nos deixa diante do nada. E o que vamos fazer com o nada?"

(Edgar Morin)

Um comentário:

  1. "É desconcertante aceitar que a ausência de sentido seja a hipótese que mais sentido faz". Não sei o que isso provocou em mim ainda.Mas vai reverberar por todo o meu dia.Um abraço, oportuna Juliana.

    ResponderExcluir