5 de março de 2012

eu tive um primeiro grande amor cheio de inocências, que me deu asas para acreditar em coisas belas. sinto falta daquele tipo despropositado de carinho, pura delicadeza de quem ama. em dias como hoje sinto uma pontinha meio triste de saudades das falsas certezas que ele costumava despertar em mim.

era deliciosamente bobo...


4 comentários:

  1. Também sinto falta das falsas certezas. Quase nada me faz, hoje, dançar nesse tipo de ilusão consentida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. talvez nos falte a música certa, poeta. ou a errada, pouco importa. dançar no silêncio é mesmo muito pouco convidativo...

      :)

      Excluir
    2. Mas, Juliana, me deleito em saber que você carrega música no seu silêncio.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir