21 de maio de 2013

essa dança, essa trança, esse nó, essa lança; essa loucura mansa, fissura, mistura, fartura de apelos, suspiros, promessas, vontades, segredos, surdinas, desejos. essa frágil intimidade de corpos que se querem juntos mas se retorcem em medo do amanhã e seus enredos de destino incalculável. esse bolo, esse rolo, estranho alvoroço de tantos quereres, com colos, vontades, sonhos, dizeres. planos e mãos e pés e corpos e almas e tudo aquilo que de repente, num minuto qualquer desse tempo presente, se mistura num emaranhado bom de vida a dois (em um). e o que era dessas duas "gentes", individualmente, passa a ser um só a gente. felizmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário