6 de fevereiro de 2012

"Haverá pior solidão do que a ausência de si?"

a peça acabou, fomos embora e essa frase continuou ecoando em meus vazios.

até concordei que não era nada assim tão novo aquele questionamento da moralidade e das vicissitudes tradicionais. mas é que quando posto de uma forma assim tão (literalmente) nua, a gente se constrange, como que flagrados numa estúpida batalha por sufocar nossa própria humanidade.

Um comentário:

  1. Isso que escreveu suspendeu minha respiração por algum tempo. Pois há pouco lutava exatamente com esse tipo de solidão. Gosto dessa maneira despretensiosamente necessária que escreve.
    Um abraço grato.

    ResponderExcluir