24 de janeiro de 2013

resolvi me desfazer de todas as coleções inúteis: de coisas, pessoas, palavras e sentimentos. não me parece justo deixar que continuem a perecer sob essa boba lógica de um peito que insiste em acumular. 

2 comentários:

  1. Não se desfaz dos poemas, depois o que eu vou ler? Alias, desfaz do tudo, mas não deixa seus versos mudos, escreve muito bem, está amadurecendo sentimento e crítica, está cada vez mais necessária para o mundo. Parabéns poeta. Tudo de bom.

    ResponderExcluir
  2. Preso demais o desapego. Que saiba bem o que acumular e o que abandonar. Tenho trabalhado bastante nisso.

    ResponderExcluir